Saturday, November 22, 2008

Gênero do Engano

Deitado....

Um vento sopra na inércia da ingratidão (feito por mim), quase na solidão de um quarto vazio (onde há pessoas), penso ter ouvido passos, e quando levanto sinto que estou realmente deitado.
Ainda não enxergo o que deveria ser visto, talvez por ser míope ou simplesmente não aceitar e criar alegações que contradizem o meu querer, e voltando no egoísmo de sempre, sigo em frente sem dizer: adeus.

Caído aos pedaços, quase sem saber os motivos necessários que me fazem sofrer, e novamente procuro o ‘saber’ mesmo ciente de que todas as respostas se encontram no meu próprio coração.
Nada além de palavras que descrevem a dor de uma ausência que se intitula em você.
E em todos os casos reviso o passado e mais uma vez caminho em uma direção que se chama: AMOR.

3 comments:

artness said...

Boa associação de pensamentos espontâneos, puros, livres, ligando-se à medida que constrói o resultado que presenteia o autor.

beijos

Rita Costa said...

É, nada como seguir em frente...

Belíssimo texto, amigo! Parabéns!
Seus escritos são muito bons. Gostei muito de conhecer seu espaço de palavras sentidas.

Estaria interessado em fazer uma parceria via troca de links? Venha conhecer nossos blogs e se te interessar me dê um retorno ok.

Abraços!

FRX said...

nossa mto legal a junção das palavras, texto realmente admiravel!