Wednesday, January 16, 2008

Precariedades


Se a sociedade valoriza
A certeza ou a dúvida
Quais favores realiza
Com a cultura escolhida?


Se a indagação é tão grande
Com a moda dita do flexível
Por que pressiona tão forte e indeferível
A sua cega obediência e breve resolução?


A palavra mostra-se tão carente
De perfeição, precisão, precaução
Assim como o humano impotente
De controlar na linguagem, a adesão


Já a entonação é extra-sensória
Vai além do pobre vernáculo
Tanto influencia, bela e ilusória
Ruim é quando se põe como obstáculo





5 comments:

Marco Antonio said...

É tão bom ler um blog simples com tão belas palavras...

Salvou meu dia, por enquanto.

Bjs

Gabriel Sioli said...

Oi... Concordo com o comentário anterior. Seu blog é simples, mas isso não interferwe no conteúdo. Ao contrário, é um texto riquíssimo no que diz respeito à originalidade. Se der, dá uma passadinha lá no meu blog: www.gabrielsioli.blogspot.com
Tudo de bom pra você em 2008

Kemp said...

Gostei dos teus textos!!!!!
Vida longa para seu blog!
Parabéns!

MH said...

Tem uma pergunta para as meninas no meu blog.
Queria saber sua opinião.
Bj. : )

Carla Moraes said...

Interessante o post.

=*