Sunday, August 12, 2007

Sexo


Carne enxarcada de brilho

Sedas luas percorrendo o trilho

Somas nuas a banhar no rio

Deleite cósmico pelo qual sorrio

Nada, tudo, galvaniza o desvario

Lama, lamba, ama-lhe

Cama, samba, bamba-lhe

Suando viajante de terso brio

Como um rio

Nasce, cresce, reparte-se

E morre...

6 comments:

*.*.*.* Mari *.*.*.* said...

Gostei dos Post... em especial o da violência...
Abçs..

andre felipe said...

gostei da poesia...diferente porém interessante seu blog..
passa no meu tbm..

http://loirocorinthiano.blogspot.com/

até mais

O ANTAGONISTA said...

Ótima poesia, ótimo blog... parabéns!

Valeu.

Mathias Meneghin said...

faço sim linkei mas a sua imagem nao esta aparecendo ...
qual seu nome?

Darck anngel said...

linda essa mensagem
adorei....seu blogger e perfeito...
da uma passadinha no meu depois!!!!

bjao

orlando camargo said...

rola sim! já está linkado e valeu pela parceria! visitarei-o sempre que der.

Grande abraço